A erva-doce é uma planta bastante conhecida no mundo todo. Só no Brasil que ela é chamada de erva-doce, nos demais lugares chama-se de anis ou anis verde. Seu aroma característico é utilizado em vários pratos da culinária mundial.

É uma erva medicinal que tem um papel muito importante na medicina alternativa. Através de seus chás e do óleo essencial que suas sementes guardam é possível tratar alguns males que atinge o ser humano. Por possuir propriedades alcalinizantes, a erva age como expectorante, estimulante da digestão e também é diurético. Além disso, ainda contém cálcio, fósforo e vitaminas do complexo B, entre elas a Niacina.

A erva-doce é uma planta muito usada pela sabedoria popular. Comumente utiliza-se a planta para fazer chás. A erva-doce possui duas espécies: Foeniculum vulgare Mill. e Pimpinella asinum L, porém são da mesma família: apiaceae. Ambas possuem os frutos morfologicamente semelhantes, contém o óleo essencial, que é o que dá o aroma em comum. Porém, as duas espécies da planta possuem efeitos terapêuticos, porte, cor das flores e forma das folhas diferentes.

Foeniculum vulgare Mill

Esta espécie é conhecida também pelo nome de funcho, falso anis e erva-doce-brasileira. Ela é nativa no norte da África e Europa mediterrânea e seu cultivo se estende por todo o Brasil, incluindo campos e jardins. Chegou ao Brasil no início do processo de colonização, a planta conseguiu adaptar-se tão bem que hoje é possível encontrar em alguns locais de forma natural. Suas flores de cor amarelada são dispostas em pequenos “buquês” que contêm de 10 a 20 flores.

Pimpinella anisum L. 

Esta outra espécie é conhecida como anis e anis-verde. De origem asiática, esta erva-doce tem os frutos secos, em sua grande maioria, importados, já que seu cultivo aqui é raro. Podendo ser encontrada especialmente na região Sul do país, onde o clima temperado favorece o cultivo. Suas flores são brancas e dispostas também em pequenos buquês.

A planta possui entre 30 a 70 cm de altura, variando de acordo com a espécie. Seu plantio é feito no período que compreende os meses de setembro a novembro, e sua colheita é feita anualmente. As sementes são as partes da planta mais utilizadas. O óleo essencial extraído da planta tem utilidade tanto para fins culinários, como cosméticos e medicinais. Outra parte, não menos utilizada, são as folhas que utilizadas na culinária dá o sabor característico de erva-doce.

A espécie da erva já era cultivada pelos Egípcios 1.500 a.C. Ela era utilizada em alimentos, fabricação de bebidas e remédios. Tempos depois foi encontrada no Mediterrâneo, Ásia e também no México.

Benefícios da Erva-Doce

Além de ser usada para fins medicinais, seus benefícios são observados também nos cosméticos e na culinária.

Erva-Doce nos Cosméticos

A erva-doce também é utilizada para a fabricação de cosméticos e tem como principal função a remoção de impurezas da pele e tratamento anti-rugas. Também auxilia no tratamento de emagrecimento. Uma boa opção é aplicá-la sob as pálpebras.

  • 2 (col. sopa) de sementes de erva-doce
  • 250 mil de água fervente

Acrescente as sementes na água fervente e deixe ferver por 3 minutos. Reserve e deixe esfriar. Em seguida, pegue duas gases. Molhe-as e aplique sob as pálpebras, tem efeito rejuvenescedor e alivia os sintomas da idade.

Erva-Doce na Culinária

Na culinária podemos encontrar erva-doce nas receitas de vários alimentos, tais como bolos, pães e saladas. Em alimentos que tem como principal ingrediente o fubá, a erva-doce é imprescindível. Como tempero é usado para dar aroma as carnes, linguiças, feijão branco e salame. Para aqueles que gostam de contar calorias, 100g de erva-doce tem apenas 17 calorias.

Receitas com Erva-doce
Sopa de Batata com Erva-doce

Ingredientes: 

  • 1 batata grande
  • 1 bulbo de erva-doce
  • 1 colher de azeite de oliva
  • 1 tablete de caldo de galinha
  • 1 litro de água
  • 4 colheres de tomilho picado
  • Sal a gosto

Descasque a batata e rale juntamente com a erva-doce, utilizando o lado mais grosso do ralador. Deixe de molho em uma vasilha com agua fria.

Em uma panela aquecida jogue o azeite de oliva e o caldo de galinha. Em seguida, escorra a água da batata e despeje a batata e a erva-doce na panela. Misture tudo e deixe refogar por 2 minutos.

Acrescente 1 litro de água e o sal a gosto. Deixe ferver por 20 min, mexendo de vez em quando. Veja se está bom de sal, retire do fogo. Acrescente o tomilho e sirva em seguida.

Salada de Camarão com Erva-doce

Ingredientes:

  • 500g de camarão médio limpo
  • 1 col. (chá) de coentro
  • 1 col. (chá) de orégano
  • 1 col. (chá) de suco de limão
  • ½ col. (café) de sal
  • 1 col (sopa) de margarina
  • 1 col. (sopa) de azeite
  • 4 corações de alcachofra
  • 1 cebola em cortada em tiras
  • 1 bulbo de erva-doce
  • Alface americana a gosto

Amasse o alho e misture com o coentro, orégano, o suco do limão e o sal. Tempere o camarão e deixe-o reservado em uma vasilha por 20 minutos. Em seguida, em uma panela aqueça a margarina e despeje o camarão e refogue brevemente. Cozinhe as alcachofras, escorra e corte em cubos. Misture o camarão, a cebola, a erva-doce picada e a alface americana. Regue com azeite. Antes de servir, deixe esfriar um pouco na geladeira.

Mitos e Curiosidades

- Segundo estudiosos, a erva-doce já era usada pelos Egípcios em 1.500 a.C. Ela era utilizada em bebidas, alimentos e também já havia sido trabalhada na área medicinal.

- Alguns falam que os romanos já a conheciam e a usavam como ingrediente em um bolo que era servido ao final dos grandes banquetes que realizavam.

- Antigamente, na época onde a exportação e importação de alimentos era frequente, a Inglaterra pagava impostos sobre a sua importação.